VINHA EM TELHADO DE NOVA YORK

VINHA EM TELHADO DE NOVA YORK
“Rooftop Reds” é o nome dado à "primeira vinha do mundo, plantada num telhado de um prédio que – segundo os seus criadores - será comercialmente viável". A vinha, plantada num terraço na cidade de Nova York, terá a sua primeira produção pronta a ser vendida por 1.000 dólares a garrafa, a partir de 2019, segundo anunciaram os proprietários.

Esta “vinha urbana” está plantada no último piso do New York Brooklyn Navy Yard, um parque industrial com mais de 120 hectares, onde se encontram instaladas várias empresas.

As videiras foram plantadas num sistema especialmente desenvolvido pela empresa Rooftop Reds com a colaboração de técnicos da produtora Finger Lakes e ainda com a colaboração da Universidade de Cornell. Neste terraço de cerca de 1,5 hectares, foram plantadas 168 videiras em 42 recipientes especialmente concebidos para o efeito, tendo a primeira vindima ocorrido no passado mês de outubro.

O fundador da Rooftop Reds, Devin Shomaker é formado em viticultura e enologia e já abriu o local para visitas ao público em abril do ano passado. Shomaker afirmou pretender que o vinho, ao ser vendido pelo preço de mil dólares a garrafa venha a ser um vinho para coleccionadores, uma vez que este "será o primeiro de seu tipo, sendo extremamente limitado."

Cada videira foi plantada em 36 centímetros de solo, 40% do qual foi esmagado com vidro reciclado, simulando-se assim a presença de areia e criando o que Shomaker descreve como um "solo leve e sustentável, semelhante ao de uma vinha tradicional”.

Na vinha de Rooftop Reds foram plantadas as castas Merlot, Cabernet Sauvignon, Cabernet Franc, Malbec e Petit Verdot. Depois de colher as suas primeiras uvas no mês passado, Shomaker anunciou que as primeiras 30 caixas irão estar prontas para venda em 2019. As uvas foram vinificadas na adega de Point of the Bluff Vineyards, onde o vinho se encontra actualmente em estágio.

Durante o verão, o local podia ser visitado durante qualquer dia da semana, em diferentes horários, podendo os visitantes marcar a visita ou outro tipo de eventos no site http://www.rooftopreds.com/

Para Shomaker, que instalou a vinha enquanto ainda era estudante de viticultura no Finger Lakes Community Colleg "há todo um misticismo em torno da cultura do vinho, mas quantas pessoas sabem ao certo o que as videiras precisam para crescerem e se desenvolverem? A viticultura resume-se a ciência e é isso o que estamos a provar neste telhado ".

Para estudar a viabilidade do projeto, Devin Shomaker e o seu irmão Thomas j(untamente com um colega) plantaram previamente 50 videiras no telhado de um apartamento. Só após confirmarem que as videiras sobreviviam ao inverno severo de Nova Iorque, é que concluíram que o conceito teria pernas para andar.
Shomaker assegurou o arrendamento do telhado de um edifício no Navy Yard depois de angariar um total  16.820 dólares no Kickstarter (https://www.kickstarter.com/), tendo na primavera de 2014 plantado a vinha no terraço, após ter ainda conseguido garantir um investimento de 500.000 dólares da parte de John Rodenhouse, accionista de Point of the Bluff Vineyards, produtor de vinho no estado de Nova York.

Na vinha organizaram-se vários eventos de verão, incluindo experiências gastronómicas inovadoras, aulas de ioga, sessões de cinema e provas de vinhos.

4 Comentários

    • Avatar
      António Silva
      Nov 20, 2017

      De tirar o chapéu como ideia de negócio...agora como vinho, só de pensar o que será a primeira colheita de uma vinha de vaso com o terroir de Brooklin?! ... ainda por cima por 1.000 euros! Não é a mim que me convencem.

    • Avatar
      João Castro
      Nov 20, 2017

      Se a moda pega, vamos ter uma nova categoria de vinho: o "urban wine" ....

    • Avatar
      Joaquim Pina
      Nov 20, 2017

      Tudo o que tem de bom Marketing há-de ter na mesma proporção de mau vinho.

    • Avatar
      João Carlos
      Nov 24, 2017

      1.000 euros !! Pelo spot ou pelo vinho?

Comente este artigo

* Nome:
* E-mail: (Não Publicado)
   Website: (Url do site com http://)
* Comentário: