MINISTRO RUSSO QUER MENOS VODKA E MAIS VINHO.

MINISTRO RUSSO QUER MENOS VODKA E MAIS VINHO.
O ministro da agricultura russa incentivou recentemente a população a beber mais vinho, de forma a melhorar a saúde pública. À primeira vista tal poderá parecer estranho, mas num país conhecido por usar e abusar da vodka, talvez uma mudança para algo mais soft possa trazer alguns resultados positivos. 
 
Pelo menos é essa a esperança de Alexander Tkachyov, ministro da agricultura do país, que encoraja os russos a beberem vinho em vez das tradicionais bebidas brancas, com muito maior percentagem de álcool: “Nós somos um país onde em regra geral se bebem bebidas alcoólicas ‘fortes’ como a vodka ou moonshine” afirmou à NTV, canal de televisão russo.  
 
As consequências desses consumos excessivos das chamadas bebidas destiladas podem ser devastadoras: “Isto não só rouba saúde às pessoas, mas também muitas vezes as próprias vidas”. Por outro lado, “ao beberem mais vinho, os russos iriam ver o estado de saúde do país e os problemas demográficos alterarem-se para melhor”. 
 
Incentivos à produção nacional.
 
Uma das medidas por parte do estado russo para incentivar esta “mudança a favor do vinho” irá passar pelo aumento dos investimentos e do apoio financeiro à produção nacional de vinho, num país onde “as pessoas estão a começar a interessar-se sobre o vinho”, como explica Tkachyov. 
 
No entanto, esta mudança só será benéfica para a saúde, se o consumo for feito de forma responsável, como realçou o ministro: “Obviamente que tudo tem de ser feito com moderação. Até se pode morrer por beber-se um balde de água... portanto o vinho também tem de ser bebido com moderação ...” - disse o ministro, embora admitindo que “a maioria dos russos não percebe isto ...”. 
 
Esta medida vem na sequência do comunicado por parte da Igreja ortodoxa do país, em agosto do ano passado, anunciando que planeavam começar a produzir o seu próprio vinho para ser usado nas cerimónias.  
 
Refira-se que nalgumas regiões da Rússia a comunidade de entusiastas de vinho é cada vez maior, como acontece por exemplo na Sibéria.

Comente este artigo

* Nome:
* E-mail: (Não Publicado)
   Website: (Url do site com http://)
* Comentário: